sábado, 12 de abril de 2008

O Mundo Paralelo

Se temos dúvidas quanto a existência do mundo paralelo, acho que já podemos saná-las. A não ser que a vida vista através dos nossos olhos seja apenas uma ilusão. O mundo paralelo é aquele “pedaço” de mundo, semelhante, que te espera. Existe aquela porção de água que você irá ingerir. Existe o espaço físico prévio que te possibilita a locomoção. Para que você possa viver, deve existir essa reversibilidade física. Deve existir matéria e espaço, prévios, para que você possa fazer essa troca constante de matéria e de espaços.
O seu mundo paralelo é aquele, semelhante ao seu “atual”, que existe e te espera, para ser usado por você. Este segundo mundo é semelhante, não igual, ao seu. Ele têm os mesmos componentes, mas é disforme(é como a junção das faces "cara" e "coroa" da moeda. Elas têm configurações diferentes e são inversas, mas uma só existe devido a outra, pois contém os mesmos elementos formativos - trecho acrescentado no dia 21/04/08).
Deve existir o dobro, sempre, de tudo o que é essencial à vida, senão, esta não vai existir. Mundo dobrado e semelhante. Mundo paralelo.


Abraços!

6 Comments:

Cleverton Aires said...

Massa seu blog, um grande abraço!
:)

Mirian Martin said...

Explica melhor... Isso quer dizer que, se eu me deslocar no espaço (der um passo), este espaço (com o passo) já existia para eu poder ocupá-lo, ao mesmo tempo em que ele não existia, por eu não ter dado o passo ainda? e por isso são mundos paralelos?

www.caldeirao-da-bruxa.myblog.com.br

Fernando Assad said...

Olá Mirian! Tudo bem?

Eu penso mais ou menos dessa forma. Antes de você dar um passo, o espaço já existia, mas, para você, o espaço ainda era totalmente inócuo. Por ser inócuo, podemos considerar que não existe, mas existe, pois contém todos os elementos essenciais a você. É mundo paralelo enquanto ainda não for palpável (pois ainda é inócuo), mas que contém, de modo semelhante (ou, talvez, igual mesmo) todos os elementos que são essenciais a você. Como eu disse, tudo o que é vivo necessita de tudo o que é essencial para a vida em dobro, para poder continuar a viver. Do mesmo modo que a face "cara" da moeda depende da face inversa, que é a "coroa", para poder existir; elas têm configurações diferentes, mas contém os elementos formativos iguais. A face paralela à face da "coroa" é a face "cara".


Um abraço!

Fernando Assad said...

Muito obrigado, Cleverton! Achei muito bom que tenha gostado!
Um abraço!

A Bruxa said...

Mas, se eu for dar um passo, este pode ser em várias direçòes, portanto, não seria um "duplo", mas uma infinidade de mundos, uma vez que teria uma infinidade (limitada rssss) de opçòes.

www.caldeirao-da-bruxa.myblog.com.br

Vinícius Aguiar said...

Blog super legal e textos inteligentes! Já te linkei!Abraços!