quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Início, meio, enfim

Quem apresenta qualquer tipo de conteúdo entende apenas 50% deste conteúdo. Eu só entendo o significado de 50% do que escrevo aqui (e vou explicar o porquê). Isso porque os outros 50% ficarão para os resultados da leitura (os efeitos que aparecerão eu não sei, só posso presumir – e o que vou conhecer são só alguns detalhes). Só existe metade dos significados dessas idéias aqui, a outra metade (que contém a continuação da história e significados desse post) ainda vai ser criada. Um pensamento escrito (ou qualquer meio que passe alguma mensagem) só vai poder ir sendo completo, à partir do momento que o leitor ou ouvinte capta aquela mensagem. À partir disso, é claro que a experiência acaba de ser aumentada e as futuras ações do indivíduo mudarão. O leitor desse texto vai pensar de outra maneira ao final da leitura, e não há escapatória, pois ele leu. Assim, modifica-se o significado dessa preposição de que (quase) toda história têm início, meio, e fim. Há um início, há um meio, mas o fim não é este que se presume. O fim da história do pensamento que escrevo aqui é impossível de ser descoberto; e também não é o fim, são os “fins” (estão com vocês). Quem passa alguma idéia usa o passado, para criar o presente, mas não sabe todo o resultado (só saberá de alguns pontos). Só se entende completamente o significado de qualquer coisa, se puderem ser descobertos os resultados que aparecerão.
(para exemplificar: você cria um projeto científico em sua faculdade, mas só os resultados práticos vão completar o sentido deste projeto - adicionei esse trecho no dia 31/01/08 às 22:00 horas)

Até mais amigos!
(ah, e olhem o post debaixo também, sobre o selo "Paz que Une")

27 Comments:

miriam said...

tudo bem, mas se o leitor entender muito diferente daquilo que você quis passar então não houve comunicação

post interessante pra gerar uma discussão

Fernando Assad said...

Se quem fez o segundo comentário aparecer novamente, vai ver que o comentário não está aqui, mas não foi eu que apaguei, o blogger acabou apagando, não sei como.

Até mais.

Camila Libanori said...

Amei o post , realmente cada um interpreta de uma forma e sempre gera debate amei!
da uma passadinha no meu tb!
bjO!

bem vindos a mim said...

é, por um lado concordo com seu texto. Gostei.!

erika janine said...

Gostei muito do seu blog. Parabens.

Chamados para Fora - Livro said...

obrigado pelo comentário no http://chamadosparafora-ch.blogspot.com

Seu blog é muito legal, vou vasculhar suas postagens e depois comento direitinho.

tudo está muito legal

Pollyanna Ferreira said...

Xiiii, só entendi metade...

continue assim, gostei da imagem do layout!
parabéns pelo blog!

Lau said...

O próposito de dividirmos o que pensamos é apenas (e não completamente) uma forma de comunicação, cada um tem seu modo de interpretar, o que pode ocasionar em discórdia ou até ignorância por parte do leitor que não soube ler, mas de toda forma, houve comunicação.

Se foi captada não importa.
Concordo com a miriam que gera discussão.

Post excelentes!

E eu vou aderir sim ao teu selo ;D
Poderia linká-lo no meu blog?

www.laseltsam.blogspot.com

RENATO BIAO said...

faz sentido... só entendi a metade do teu texto.
brincadeira.

belo blog.

http://www.correleg.blogspot.com/

Fernando Assad said...

Cada um têm a sua forma de interpretar uma informação, mas acredito que nunca vai ser 100% condizente com a idéia de quem a propagou.
E nesse post eu quis mostrar que toda idéia só vai ser completa após a recepção dela por outrem, e o que à partir dela vai ocorrer. É como fazer um trabalho científico. Por ex: Você constrói a sua idéia, mas só a aplicabilidade e a viabilidade dela vão dar sentido ao que você fez previamente. Você faz um projeto, mas somente os resultados daquele projeto (a prática) vão dar sentido à aquele projeto naquela situação.
Eu também só entendo metade, renato rsss

Bernardo Lima said...

legal sua teoria e verdadeira tb.
Infelizmente nem tds captam do jeito que queríamos e as vzs o texto fica bem distante de nossa idéia original, mas no fim das contas, até que é legal...

sobre o selo, uma xcelente idéia...é bom ver que ainda existem pessoas preocupadas com este tipo de coisas em nosso mundo.

Por Ricardo Cazarino said...

Realemente uma bela teoria. Cada pessoa intepreta aquilo que lê de acordo com vários fatores...mas de certo, entender completamente a mensagem é complicado mesmo.

Sidcafeína said...

Obrigado pela visita...
pior ainda é quando o marcador de gasolina não funciona.

Faz sentido o que você escreveu, a cara metade da escrita é a leitura, se escrevemos algo e ninguém lê, o trabalho foi pela metade.
Boa observação a do seu post.

Abraço

maricotO said...

E do quanto eu gostei e achei interessante seu texto, estou formando mais um pouco do resultado.. que ninguem verá completo... rs

Obrigado. abraço!

Meerstempel Badist said...

Cara, demorei para compreender o que queria dizer, mas entendi e ainda complemento. pode ainda acontecer de a mesma pessoa ler o texto duas vezes em momentos distantes no intervalo do tempo e assim, formar idéias diferentes, por ter adquirido conhecimento nesse meio tempo.

HenriqueM said...

Lembrei da minha professora da primeira série que dizia:
-Você tem que ler e interpretar o que leu.Você tem que entender.

Só que ela esquecia que cada pessoa interpreta de um modo,não é mesmo?


E é bom esse lance de cada um ter a sua opinião sobre algo,assim nascem os pontos de vista.

Gostei do texto.









Quando quiser conhecer:
www.henriquem.blogspot.com

Rafael said...

No meu projeto a pratica foi bem diferente da teória.

Já leu, PAULO FREIRE, a construção do saber? .

nane-chan said...

Minha nossa!!!!!!!!!!!

Tato said...

oi fernando,
é você tem razão toda a interpretação do texto depende do leitor por mais que um mensageiro queira passar certo tipo de mensagem é dificil implacar exatamente o que presumidamente seria entendido.
mas é ai que se diferenciam os grndes escritores, suas mensagens conseguem atingir o leitor de tal forma a ser entendido de forma objetiva e então conseguir o resultado esperado ne mesmo, e com o resultado esperado em mãos você poderá fazer com que seu leitor tenha a reação que desejar após isso, dentre elas tristeza(dramas), medo(terror), curiosidade(suspense), e assim por diante...

muito interessante sua iniciativa sobre "a paz que une", mas coloque uns atrativos nesse logotipo, além de um ideal, torna-lo um adorno.

sempre que puder passe no meu blog, gostei muito do seu blog e de seu comentário, ou me passe seu e mail, podemos trocar umas informações, ou até mesmo te ajudar com a campanha proposta.

abraço

Marco Antonio said...

Realmente... é uma excelente observação.

Eu, por exemplo, quando escrevo poemas vez ou outra revisito um tema, pois, nunca parece estar completo.

Acho que isso é bom.

Camila Libanori said...

Ola!
Blog atualizado, quando der da uma passadinha la!
bjO!

Anônimo said...

seu blog e seus textos sao muito bons,eu me perdi lendo os textos do seu site,seu blog e vc vao longe !

www.futebolediscussoes.blogspot.com

Mr and Mrs. said...

boa ideia essa da "paz que une" posso participar?
se sim manda ae o html que eu posto no saco cheio blog !!!

Lucas said...

Valeu por ter visitado meu blog

assim q pode vou coloca coisas legai la hehe, como as desculpas quando estiver dormindo no trabalho hehe

é que eu comecei hoje akele blog ainda ta devaga hehe

valeu

abraço

rodrigocherene said...

ótimo texto

paz

Por Ricardo Cazarino said...

Olá! ótimo comentário! Valeu!! Muito bom teu blog viu...sempre passo por aqui.Abs

Sergio Scobari said...

Cara eu estou boquiaberto, seu blog é fantástico!! É muito diferente, você foge completamente do estilo dos outros blogs que vejo!! Você mesmo vai criando novas concepções e idéias, isso é muito difícil, isso não se vê por aí! Com certeza num curto prazo vai ser muito famoso!!! Te desejo sucesso!!!!