domingo, 27 de janeiro de 2008

O país de linhas

Imagine se acontecesse agora uma reviravolta, e o mundo sofresse uma nova divisão, onde as pessoas com a mesma filosofia e/ou estilo de vida passassem a dividir um mesmo país. Cada país, uma filosofia. É o que todos procuram, não é? Porque, dentro de uma certa filosofia ou estilo de vida, o que se exalta, logicamente, é ela mesma. Mas acredito eu que, com certeza, metade daquele povo do “novo país” continuaria igual (“falando por alto”) e metade da filosofia basilar morreria, gerando outros estilos de pensamento. Com o tempo, surgiriam as minorias e as maiorias; surgiriam novas linhas de pensamento; assim, tudo ia acabar voltando ao modelo antigo, do qual aquele povo tinha saído. Mas, qual é o porquê disso? A resposta é simples. Se todos seguirem uma mesma filosofia, não há destaque e nem singularidade à ninguém. A massa é igual e insossa. Não há novidades nem remodelagem de conceitos, pois não há a referência daqueles que são os diferentes.
Um estilo de pensamento só se mantém se tiver de se contrapor à outro porque, senão, não há nenhuma referência para aquele pensamento.
Por isso, deve-se dialogar e estudar as outras linhas de pensamento pois, senão, metade da filosofia incrustada em seu cérebro não se remodela buscando o que é o melhor para você.

Abraços!

22 Comments:

Tha said...

Nossa! Isso é muito verdade

adorei =)

vou add o seu blog no meu

beijos

Por Ricardo Cazarino said...

Ótimo post! Realmente em uma sociedade sem diferentes visões de pensamenttos e diversidade, seria um tanto quanto monótona. As diferenças de crédulos gera uma maior intereação entre as pessoas em busca de um debate das melhores maineira de uma vida ideal. Infelizmente, hoje, e assim como na história, o desrespeito e/ou a imposição de idéias fixas geram desgraça e guerras estúpidas pelo mundo afora!!
ABS

Maiara Mascarenhas said...

Eu imagino que você andou lendo "Admirável Mundo Novo" do Huxley.

Fernando Assad said...

Maiara,
Nunca lí esse livro, só o conheço pelo nome.

R Lima said...

É das diferenças que nos tornamos grandes.

Viva estas filosofias.. viva as minhas filosofias!!

Abçs,



Texto de hoje: SeR...

Visite e Comente... http://oavessodavida.blogspot.com/

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

CapinaremosRH@gmail.com (Zanfa) said...

Muito interessante essa tua filosofia, realmente pessoas iguais num mesmo patamar não evoluem juntas. =)

Lau said...

Amei, amei, amei, amei!
Mesmo!

E Dalí ainda.

Adorei o Blog *-*
Incrível.

Boa Semana ;*

RENATO BIAO said...

gostei muito do tema, a diversidade é que nos faz enxergar o mundo e o que nos cerca sob nova ótica.

http://www.correleg.blogspot.com/

Adriana said...

Concordo contigo! Muito legal o que escreveu!
Gostei do teu blog

Hiroshi said...

bom o post. realmente, por mais que sigam as mesmas linhas gerais, sempre vão haver pequenas divergências, e nesse caso, elas passariam a ser as únicas divergencias, e tornar-se iam tão grandes que seriam notadas.

Fernando Assad said...
Este comentário foi removido pelo autor.
blog said...

Isso funciona para todas as formas de sociedade - do casamento ao hemisfério.
É fundamental a dialética, a contraposição de idéias. Somente ela leva ao conhecimento e é justamente ela que produz respeito à opinião alheia (quando vista de forma civilizada).

Fernando Assad said...

A questão da divergência é lógica, como eu deixei explícito no texto, mas o que mais intriga é o seguinte: como mensurar a importância da sua filosofia e como mensurar a importância da filosofia de outrem, se uma depende da outra. Como se relatar quanto à outra filosofia se você considera a sua a correta. Isso sim é complicado.

Elton.Breakout said...

kra...bom post..vlw? vc escreve muito..bem mesmo..e tem razão..ninguem..consegue pensar igual..por muito.tempo

Lau said...

Destino.
O Resumo de tudo.

Muítissimo obrigada pelo comentário no meu blog sobre o arco-íris.

E esse post continua sendo um dos melhores que já li em vida.
Parabéns, desejo muito sucesso pro seu blog. x)

Volúptas said...

diversidade e´ uma grande arma para o crescimento de ambos.

sacada interessante.

by voluptas

NANA said...

São as diferenças que nos fazem evoluir, são elas que nos desafiam sempre.

Adorei o blog. Vamos fazer uma parceria de link?

Bjs.!

BLOGDOED said...

Gostei tb do texto.


Acho que o Ser-Humano cresce apenas quando se expões à opiniões divergentes das suas.

Parabéns

Maryah said...

Em termos de filosofia Leibniz diria que Deus criou o melhor dos mundos possíveis. Por isso a singularidade tenderia a voltar...
Na faculdade este tema apresentado pelo pofessor rendeu a fúria dos colegas ateus.

PS: Não sei ainda o que sou.

Ethan said...

Gostei da linha que seu blog segue, porque não cansa. Isso é raro atualmente. Geralmente os blogs limitam-se a textos poéticos ou não-poéticos que não despertam interesse. Claro que tudo é um ponto de vista. Meu ponto de vista. Ponto de vista que precisou de referenciais para ser construído. Uma filosofia que se fundamenta em outras. Mas quem veio primeiro? Quem foi o primeiro fundamento? O primeiro homem que pensou? Isso me lembra muitas coisas que muitos filósofos disseram.

Legal, não?
Abraços. Até.

Van said...

Fernando....

Que delícia de ler!
Tô adorando........

Beijucas e obrigada pelo recadinho no bloglogs. Só vi agora. Não entro muito por lá.

Venha sempre me visitar lá no VAN Filosofia!
Vou adorar!

Beijucas

Jan Träumer said...

Adorei.. conhecer o q o outro pensa é importante para conhecer o q eu penso, para conhcer de verdade.

Parabéns!