sábado, 16 de fevereiro de 2008

A música do futebol

Se fizermos um traçado entre um time de futebol e um grupo musical, podemos obter as seguintes percepções: o goleiro corresponde ao baterista, pois é o baterista que dita o ritmo e confere a estabilidade e segurança ao grupo; o baterista é fixo, se mantém na parte de trás do restante do grupo e, se fizer firula e entrar em descompasso, quando está “com a bola nas mãos”, acaba podendo estragar toda a música (ou “quase” leva gol, ou leva o gol mesmo). O zagueiro corresponde ao baixista, pois o baixista ajuda o baterista a ditar a estabilidade do grupo, e apresenta o som mais grave, “pesado e fechado”, assim como é a atitude do zagueiro para poder fazer a marcação forte sobre o adversário. O volante é a guitarra base, pois a guitarra base articula todo o grupo e profere vazão às “jogadas”, apresentando as características intermediárias (e sendo o elo de ligação) entre o baixista (zagueiro) e o guitarra solo (meia). O guitarra base dá harmonia ao grupo. O meia é o guitarra solo, pois o guitarra solo dita a melodia e a criação, fazendo o acompanhamento “afinado” ao trajeto do vocalista (atacante). Os laterais sãos os percussionistas, pois eles incrementam e apresentam as funções tanto na defesa do time quanto no ataque. Os laterais/percussionistas são, vamos dizer assim, os líberos; os apoiadores. E, por fim, o atacante é o vocalista; ele é direto e específico, espera a articulação de todo o restante do grupo para poder trabalhar, está na posição mais “adiante” do grupo, e, sem um bom vocalista/atacante, o gol não sai.
(obs: não sou músico, essa é apenas a minha percepção)

Abraços!

15 Comments:

Lucas Conrado said...

é, é uma perecepção exata. Tanto na música, quanto no futebol, se alguem falha, o resultado não fica bom.
Uma interessante e verdadeira comparação.

reflexões said...

muito legal sua explicação. Até p mim, q não entendo nem de música nem de futebol, entendi as colocações de forma clara. parabéns!!!

Zanfa said...

Hahaha, que excelente comparação cara.

Realmente parece ser isso mesmo!

O gerente da banda seria o técnico? xD

Camila Libanori said...

Bela percepção unindo duas paixões nacionais!
bjO!

Angel Ilanah said...

analise interessante a sua, tb não entendo de futebol e musica, mas flui perfeito seu texto



topas parceria

visite-me
http://sushidebanana.blogspot.com/

Marco Antonio said...

Adorei esse paralelo. Uma das melhores associações que já vi entre música e futebol. Tudo no seu texto faz sentido.

Walmor said...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
blog said...

Interessante.
E futebol pode ser jogado "por música', como se dizia nos bons tempos.
Valeu a analogia.
As analogias, na verdade.

Gustavo said...

putz, pra eu que não entendia nada de futebol, foi musicalmente esclarecedor.

Daniel Leite said...

Muito boa a analogia!

Tenho um blog sobre futebol e me encanta todo texto bem escrito a respeito. Fantástico mesmo!

Abraço.


http://pordentrodomundodabola.blogspot.com

Aventureiro X said...

Rapaz que comparação excelente.

Achei muito duca.

Parabéns pelo raciocinio...

Forte abraço.

http://20-e-poucos-anos.blogspot.com/

Os melhores sites PTC said...

Bela comparação entre futebol e música.

Fico massa!!

Abraço

rato contra a vassoura said...

poxa... eu quero montar um powertrio, mas eu sou guitarrista solo e base, vocalista, e compositor...

a análise é quase perfeita, mas agora eu senti o peso de ser um Kurt Cobain da vida

é o preço de ser autista

A Bruxa said...

Eu tenho um filho que é pianista e goleiro da escola - além de santista roxo. Fico imaginando onde ele entraria na comparaçào.
Texto fantástico!

Henrique Felippe said...

Nossa cara, que interessante... me amarro em futebol e música... sua maneira de expor foi perfeita... show de bola mesmo...

Grande domingo...

Henrique
Vai Vendo...
http://henryfelippe.blogspot.com/