terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Os três pontos finais

Criar e representar dissociações interligadas que atinjam o âmago de espectadores, ou leitores, é algo muito raro (é redundância, mas gostei de usar essas palavras). Eu encaro essas dissociações como Surrealismo. Não sei se vocês já assistiram aquele episódio de “Os Trapalhões”, que contava uma história “à la” Monty Python, mais ou menos assim: o personagem Didi, durante sua rotina diária, sempre recebia chuva (somente em si), onde quer que ele estivesse, várias vezes ao dia, e principalmente nos lugares mais inconvenientes; ao final de seu dia, ele vai para casa e assim vai tomar banho, mas, quando ele abre o registro do chuveiro, a água não sai... então, ele acaba por sair do box do banheiro, para assim a chuva aparecer de novo (pois, como eu disse, ela só aparece em locais inconvenientes) poder tomar seu banho.
Qual é o sentido dessa história que reproduzi? Nenhum. Mas, satisfaz o âmago de sua consciência? Creio eu que, possivelmente, sim.
Dar explicação (mas não sentido) à esse tipo de história, é como associar quatro desenhos (dois quadrados, e outros dois círculos), em dois quadros; faça uma justaposição lateral de um quadrado com um círculo em um quadro, e faça outra, no outro quadro, onde o círculo seja atravessado parcialmente pela “ponta” (rebordo) do quadrado.
O que podemos obter da associação desses dois quadros? Podemos perceber uma transição do estado de paz (1º quadro), onde o círculo e o quadrado estão “harmoniosos”, para um estado de “invasão” (2º quadro), pois o quadrado acaba por “romper” o círculo.
O que eu falei têm sentido? Nenhum. São só desenhos que poderiam representar um milhão de coisas. Mas, eu pude satisfazer o âmago da sua consciência? Creio eu, que sim...

9 Comments:

Anônimo said...

o q tem haver o post com o titulo do blog? a resposta vale um post! rsrs!

Fernando Assad said...

O título têm haver com o final do post. Os meus três pontos são a minha insinução de que induzi você a acreditar em mim.

Siegrfried said...

Bom...
Cara eu to meio bêbado..
Misturei Um litro de Smirnoff Black com Chá mate e o resultado foi ótimo!
Porém não sei se foi por causa da vodka com mate ou outra coisa, mas eu não entendi o post!
Seria a vida da gente?
A gente tem, tem e desperdiça, mas quando procura a água ela não aparece, é isso?
Ah obrigado pela visita!
Continue assim!

Fernando Assad said...

hehehe... Siegrfried, não é pra entender não. É justamente pra você achar o que você quiser heheh

abraço

Leck said...

Gostei do Post!
=)
abraços

Alex

http://leckhunter.blogspot.com

Abel said...

Bem... pareceu niilista, mas quem sou eu para rotular se aparentemente é contra justamente isso que voce ta indo.
Ah!
Parabéns pelo selo

Abçs,
Abel

Jonathan Alves said...

Tudi faz sentido, é tudo uma questão de ponto de vista!!!

http://k4osss.blogspot.com

Camila Libanori said...

Mil pessoas mil interpretações!

bjO!

Mirian Martin said...

O âmago da minha consciência vagou a cada explicação, sugerindo que o âmago não estava bem ali... aliás, mal consegui juntar os quadrados e círculos - tudo o que via eram brincos, muito bonitos, por sinal... o âmago da minha consciência anda muito fútil ultimamente...