sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Uma porta, e dois veículos

Todos nós podemos perceber que uma porta, de largura comum, não foi feita para o trajeto simultâneo e confortável de duas pessoas. O trânsito veicular, ou qualquer via de tráfego, norteiam-se sob este mesmo princípio. Então, qual é a racionalidade de se estabelecer, como consenso generalizado, que todas (ou a maioria) das empresas, instituições governamentais, universidades, escolas, profissionais liberais, e etc., comecem o dia de trabalho às 8:00 horas em ponto, e terminem por volta de 17:00 horas? O acréscimo do número de veículos é constante, e plenamente visível, principalmente nas grandes metrópoles. O consenso generalizado sobre esses horários já citados, força a “invasão” quase simultânea das ruas por todos os veículos de pessoas ativas no trabalho. Essa é uma das grandes “doenças” da atualidade, pelos seguintes fatores: veículos que demoram para chegar ao local de trabalho consomem mais combustível, aumentando o nível de poluição do ar (e o gasto com combustível), e esses veículos sofrem mais desgaste de motor, aumentando o nível de despesas do dono (com a manutenção); o nível de estresse e o cansaço do trabalhador aumentam, afetando de forma contundente o seu rendimento (boa parte do trabalho do dia acaba sendo feito no trânsito mesmo); o nível de atrasos é maior; ambulâncias ficam paradas; em caso de acidentes, o congestionamento fica maior ainda; isso sem citar os outros vários efeitos deletérios causados pelo trânsito congestionado. Então, não seria um grande passo para a ajuda na “homeostasia” das cidades, que o governo convencionasse regras mais éticas para os turnos de trabalho? Por exemplo: estabelecer que, no mês de fevereiro, os horários para o início de turno em instituições públicas e escolas, passem a ser de 7:50 hrs, e, de fim de turno, às 16:50 hrs; e universidades e empresas, de 8:15 hrs, às 17:15 hrs. No mês seguinte, a inversão de horários deve ocorrer.
Ganha-se, só com essas pequenas mudanças, 25 minutos para a melhora da homeostasia do tráfego nas ruas (repito: essas regras seriam convencionadas e estabelecidas mais pela indução da ética, e não gerar restrições jurídicas aos “infratores”). Assim, ganha-se “25” anos de avanços para o nosso país.
(implicações sobre possível incompatibilidade de horários à parte)

Abraço!

12 Comments:

rodrigocherene said...

ótimo

grande idéia

vamos colocar em prática

paz

Matheus said...

po mano, realmente seria muito bom se isso rolasse, ajudaria bastante, abraços!!!

Liliane Sastre Nunes said...

Seria uma alternativa sim...
mas uma outra questão interessante: acordamos cedo (por volta das 6 da manha) e trabalhamos ate, mais ou menos, umas dez horas da noite, e a maioria de tudo que funciona nesse pais segue esse horário. O bom seria se começassemos a trabalhar mais tarde, a fim de poder trabalhar até as dez da noite, como a maioria.
Bejocas
me visita;)
http://rabiscancia.blogspot.com/

Fernando Assad said...

Olá, Liliane!

É claro que falei de uma forma generalizada (me relacionei mais às instituições públicas e empresas privadas), pois os profissionais liberais, principalmente, não têm horário fixo (principalmente de saída), passando bem além das 17:00 horas.
A sua idéia é boa também!

Um beijo!

Feänor said...

Interessante sua proposta...

Mas é realmente seria necessária uma séria análise do impacto destas mudanças sobre a população, bem como um período de experiência para verificar se a coisa efetivamente dá certo.

Mas é uma idéia muito boa mesmo... Eu diria pra você enviar um rascunho dela pra algum parlamentar mas... Nós sabemos que isso não dá em nada.

Abs!

Fernando Assad said...

Olá feañor, obrigado!

Como você disse, é necessário que se faça um enorme estudo sobre a viabilidade dessa idéia. E, quem sabe eu não mande essa idéia para o parlamento mesmo? Mas eu também tenho minhas dúvidas sobre a efetividade deles...

Abraços!!

Natanael Garcia said...

Olha não sei se isso melhoraria em tanto não, acho q só ajudaria a ter mais carros nas ruas. A melhor solução era ter um transporte publico melhor, que atualmente é ridiculo.

EDUARDO GOMES said...

Acho que essa idéia não iria funcionar. Seria uma espécie de rodízio, que pouco mudaria.

O estrago já esta feito. Nossa mentalidade justifica que o melhor modo de se locomover na cidade é tendo o seu próprio carro.

Uma idéia melhor seria colocar pedágios na cidade,Londres já faz isso. Quando se mexe no bolso do cidadão ele começa a pensar melhor.

vlw.

Lya Lopes said...

Ah, seria muito bom... Demoraria um belo tempo pra tudo funcionar direito, mas até que pode dar certo.

squirrel said...

Pois é tem que mudar os horários das pessoas,para assim evitarmos aqueles trânsitos caóticos


Boa dica


beijos

Somos Nós! said...

ehh uma nova alternativa néh x=

Ricardo Luiz said...

Seria uma boa alternativa...
O problema é nossa indisciplina...
O sistema não é, num todo, tão
mal como pintam...
Ora... Se tenho que entrar às sete no
trabalho e conheço todas as adversidades encontradas no trânsito, porque não estabeleço uma rotina própria de sair dez minutos mais cedo sem a necessidade de convenção por parte de quem quer que seja?

Tem coisas complicadas...
Mas podemos descomplicá-las!
Um abraço.