sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

As flores incendeiam

As flores incendeiam com suas cores
O grande refúgio dos segredos
Que se abstém do medo dos homens
Mas é tão frágil como nervos

O chão que se configura
Pelo que cresce logo acima
Sempre perde sua clausura
Quando aparece a primavera

As flores que incendeiam corações
São as que dão beleza ao chão
Mas é beleza que nunca dura
São sempre levadas pelas mãos.

2 Comments:

Wi||iam said...

Métricamente belo.

Lucas said...

Eu não sei nada de métrica, mas posso dizer que adoro ironias e metáforas!

http://almabebada.blogspot.com