quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Você se lembra?

O contexto atual de evolução industrial e científica está nesse estágio devido à fatores extremos, por qual passaram muitas pessoas em tempos de antanho. O advento da produção maquinária não foi condizente com o avanço dos meios de proteção ao trabalhador (tanto os meios de proteção por equipamentos de segurança, tanto os de proteção jurídica). A divisão de trabalho aumentou, surgindo várias funções especializadas para agilizar a produção. E os trabalhadores deveriam alcançar metas pré-estabelecidas. Não havia férias. Quem trabalhava na produção de metais, deveria se expor e suportar as mais variadas (e altíssimas) temperaturas, por longas horas, todos os dias, sem proteção alguma. Quem trabalhava em minérios absorvia fumaça até desenvolver os mais variados distúrbios respiratórios, e acredito eu que a DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica), era muito comum. As crianças trabalhavam pelo mesmo período que os adultos, e com a mesma intensidade. Infância? Para muitas, não existiu. Acidente de trabalho? Traduzia-se em invalidez e falta de dinheiro, porque, reparo por parte do empresário, não existia. Salário? Irrisório. Somente após o travamento de várias guerras entre empregados e empresários, é que foi possível formar os Sindicatos dos operários. Concluindo: também foi à custa de mortes e mutilações que surgiram os Sindicatos.
Esse é um texto chato? É. Mas não custa lembrar que nasceu da própria escravidão a televisão, aparelhos radiográficos, carros, Ipod’s, e qualquer objeto com alguma tecnologia que usamos hoje. Muitos não puderam nem sonhar. Temos culpa? Não. Mas é dever nosso lembrar desses fatos, até quando apenas nos deparamos com qualquer objeto que nos auxilia. Parcas menções, duras como um pedaço de metal, caracterizam a vida destes que já se foram. Mas, lembrar com carinho e exaltar esses, que são iguais à nós, raramente vejo. Toda homenagem é pouca, insuficiente. Exaltar pessoas irrelevantes, somente porque são “midiáticas”, é muito comum, e de uma pobreza intelectual extrema. Faça por merecer o que você tem.
No evento de lançamento do Ipod alguém viu alguma homenagem à estes mortos, mutilados, e sem sonhos? Eu não vi.

Um abraço.

4 Comments:

Pendréz Mentos said...

bom o texto..
o blog..
parabéns!!!

Caroline Bigarel said...

Se veio ou não oriundo da escravidão, eu não sei... talvez nem nunca tenha pensado nisso!
Gostei do Novelo Digital.

Carlos Matos said...

Discordo. Para mim a verdadeira escravidão sofreu um 'upgrade'. As ONGs criaram uma maneira mais genial de explorar o trabalho - não remuneram, como na escravidão, e vão ainda além sem sequer custear moradia e alimentação.

http://cudelontra.wordpress.com

Lucas said...

Se algum dia vermos alguma homenagem nesse sentido, em um lançamento de um produto novo, com certeza ela terá sido motivada por questões publicitárias. Será que vale do mesmo jeito, mesmo com a intenção deturpada?